segunda-feira, agosto 29, 2005

Estradas

Eram duas da tarde quando ela resolveu sair de casa para não mais voltar
A notícia fora dada de forma fria...improvisada e resumida.
- Vou embora!!
Nos olhares, divididos entre espanto e tristeza, a surpresa que somente a ingratidão costuma levar à face.
Nenhum pedido ao contrário foi ousado
Pois sabia-se que nada poderia ser feito
Uma porta foi aberta e...
Por esta, muitas outras fechadas.
Aos que ficaram...
Frases morreram, risos morreram...
E a vida seguiu assim, sem tantos motivos para sonhar
Ao que partiu, nenhum peso nas costas
Se não o da pequena mochila
E do violão
Que representava a esperança
De uma nova vida